Por que e como rastrear o processo de fabricação da chapa

A fabricação de produtos acabados em material pétreo a partir de chapas é um processo complexo que se desenvolve em várias fases.
As variáveis ​​e informações que devem ser mantidas sob controle são muitas e nem sempre fáceis de fazer: na ausência de um sistema de rastreamento, tudo depende muito da experiência das pessoas envolvidas.

Os tópicos abordados são os seguintes:

 
Os benefícios de rastrear o processo de transformação da chapa em produtos semi-acabados ou acabados
Implementar o rastreamento do processo de trabalho traz benefícios significativos. Basicamente, permite agilizar a divulgação das informações.

Isso involve:
  • o aumento da velocidade de execução das atividades;
  • o aumento do compartilhamento de informações;
  • a definição da informação a considerar como importante para as diferentes e individuais etapas do processamento, mantendo a possibilidade de recuperação de todas as demais;
  • controle de todo o processo para maximizar a eficiência.



 
Quais fases isso envolve
O rastreamento envolve todo o processo produtivo e pode ser aplicado a qualquer fase da produção, dependendo do grau de automação a ser alcançado.
Pode começar pela aquisição dos pedidos dos clientes, passando para a seleção dos blocos a cortar ou, no caso de quem já compra o produto semiacabado, as chapas mais adequadas no estoque e posterior processamento a ser executado.
Também é importante na certificação da qualidade do produto acabado, permitindo-se atestar a sua origem, processos ou tratamentos aplicados.
Além disso, pode ser utilizado na instalação do produto de forma a respeitar a realização do projeto original, o gerenciamento dos veios ou a rápida reposição de quaisquer peças danificadas nas operações.


 
Códigos de barra
Na base do rastreamento de qualquer processo de produção existe uma codificação de informações. A versão mais comum de codificação é a dos códigos de barras.

O código de barras, definido como "uma forma de informação legível por máquina em uma superfície visual que pode ser escaneada", é um conjunto de linhas de largura e altura variadas e uma sequência de letras e números. Usando um leitor de código de barras, a sequência é lida e, em seguida, processada e devolvida em uma versão para computador.

Historicamente, os códigos de barras nasceram em 7 de outubro de 1948 a partir de uma ideia de Norman Joseph Woodland e Bernard Silver, estudantes de engenharia da Universidade de Drexel, após terem ouvido as necessidades de automatizar as operações de cacha de um presidente de uma empresa do setor de alimentos.

Após inúmeras evoluções e tentativas, Woodland desenvolve códigos de barras lineares na IBM, adotados em 3 de abril de 1973 com o nome de "UPC" (Código Universal de Produto).
Em 26 de junho de 1974, em um supermercado em Troy, Ohio, o primeiro produto (um pacote de pneus americanos) foi vendido por meio de um leitor de código de barras. Esse pacote de pneus está agora no Museu Nacional de História Americana do Smithsonian.

Os códigos de barras são, portanto, uma ferramenta que sintetiza uma multiplicidade de informações como a origem de um produto, suas características, os processos por que passou e os destinos aos quais se dirige.


 
As tecnologias disponíveis
Para ativar o acompanhamento do próprio processo produtivo de tratamento e acabamento das lajes, é necessário contar com uma série de ferramentas tecnológicas como:
  • plataformas de software para a gestão de códigos de barras durante o processo de produção;
  • dispositivos tecnológicos para impressão, aplicação e detecção de códigos de barras.
A Breton disponibiliza um conjunto completo de ferramentas e plataformas para alcançar um rastreamento eficaz e completo para transformar qualquer marmoraria, pequena ou grande, em uma Fábrica Inteligente.
No campo do software, a Breton oferece soluções avançadas como o Breton Touch e o Breton Skynet.

Breton Touch é o software de gerenciamento integrado para as fresadoras CNC Breton. Entre os vários recursos avançados, Breton Touch é capaz de detectar e decodificar qualquer código de barras afixado nas placas após a aquisição fotográfica. Desta forma, o Breton Touch identifica a chapa e combina automaticamente o programa de processamento relativo preparado com antecedência no escritório ou, se desejado, também na máquina.
 
Breton Skynet é o sistema de supervisão da linha de produção da Indústria 4.0.
Graças a dashboards customizados e sintéticos (painéis de controle customizados) permite tanto visualizar os principais dados do processo produtivo quanto aprofundar parâmetros, como por exemplo, quais processos estão ligados a uma única chapa.
 
Os dispositivos (dispositivos tecnológicos) que Breton implementa na lógica evoluída nas plantas são muitos: impressoras de transferência térmica, sistemas de aplicação, scanners a laser ou câmeras posicionadas na entrada e / ou saída das várias estações de trabalho permitem ativar a fase exata de trabalho para cada produto semiacabado após sua identificação.
 
Os centros de usinagem avançados que a Breton também oferece podem contar com o exclusivo sistema LabelPro.
LabelPro é a etiquetadora instalada no fuso, que permite, de forma automática, eficiente e precisa, imprimir e afixar códigos de barras nas chapas, prontas no centro de usinagem e que aguardam processamento.
 

Contactos

Contacte-nos
Para ser contactado por nós, basta com preencher o seguinte formulário.